PIB Dourados

Santidade - O ideal de Deus para nós

Jul 16, 2015 Ler 1724 vezes

Deus disse a Jacó: "Suba a Betel e se estabeleça lá, e faça um altar ao Deus que lhe apareceu quando você fugia do seu irmão Esaú".
Disse, pois, Jacó aos de sua casa e a todos os que estavam com ele: "Livrem-se dos deuses estrangeiros que estão entre vocês, purifiquem-se e troquem de roupa.
Venham! Vamos subir a Betel, onde farei um altar ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e que tem estado comigo por onde tenho andado".Gênesis 35:1-3

Vamos refletir nesse dia sobre o caminho que Jacó fez no processo de restauração da sua história.  No cap.32 de Genesis Jacó passou por Peniel, lugar onde teve o seu encontro transformador com Deus. Ali o seu nome foi trocado de Jacó (Usurpador, Enganador) e passou a se chamar Israel (Aquele que luta com Deus). 

Na sequência, cap.33, teve um encontro emocionante com Esaú, e ali houve restauração do relacionamento de Jacó com seu irmão.

Seguindo na história, Deus pede para Jacó levantar um altar em BETEL e ali Jacó pede para a sua família lançar fora os deuses estranhos, se purificarem e mudarem as vestes. Assim foi levantado um Altar a Deus.

Jacó disse:  “farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia”.  Por  meio das provações, Deus quebrantou o coração de Jacó.  Encontramos aqui um Jacó bem diferente daquele que fugiu da presença do seu irmão Esaú.  Aqui é Israel quem está falando.  O suplantador Jacó ficou para trás! 

Jacó entendeu que ele e sua família deveriam se consagrar a Deus, serem separados, exclusivos a Deus. Essa exclusividade foi afirmada por Pedro: “... somos povo adquirido, povo de propriedade exclusiva de Deus”. (I Pedro 2:9).

Separar-se para Deus, entretanto, não significa separar-se do mundo, mas sim vivendo o propósito de fazer a diferença.  Essa diferença, portanto, é sempre fruto de uma consagração de vida, como encontramos nos exemplos de Jacó e seu avô, o patriarca Abraão.

A consagração requer um despojamento de tudo o que impede a nossa comunhão com Deus; requer abandono do pecado e de embaraços (Hebreus 12:1).

“Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo o peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus...”

Mediante ao pedido que Deus fez a Jacó, no vs.1 de Gn 35, Jacó se dirigiu à sua família e  disse no vs.2:  “lançai fora os deuses estranhos”.  Depois disse: “purificai-vos”.  Por último, afirmou:  “mudai as vossas vestes”.  A sequência das palavras é precisa!  Não dá para mudar as vestes se não mudar o coração. 

Experimentemos em nossas famílias a genuína santificação em Deus, lançando fora aquilo que é abominação ao Senhor, nos purificando através da ação do Espírito Santo e externando (testemunhando) a manifestação do agir de Deus em nossas vidas.

        “A mudança exterior deve ser sempre consequência de uma mudança interior.”

        Pr Israel de Sousa

HomeMinistériosPastoralSantidade - O ideal de Deus para nós Topo da Página